sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Fábio e as batatas...


Conheci Fábio no meu primeiro emprego, cara bacana ele, com pensamento e opinião. Seu gosto em relação à mulheres era bem variado, coisa que estava se tornando normal na época. Além disso era bem eclético em relação à música, lembro até de uma ocasião em que emprestei a ele uma fita K7 do Carrossel, um antigo e famoso seriado mexicano. Fazia Educação Física na Unisinos, e talvez por isso dizia tanto a mim quanto aos que trabalhavam conosco sobre a importância de se ter uma boa alimentação, o que se deve ou não comer...
Enfim coisas saudáveis.
Ele não jantava conosco, pois morava perto da empresa e ia em casa mesmo. Porém com o tempo fomos descobrindo algumas verdades sobre seus hábitos alimentares. Não que fossem assim ruins, mas eram deveras estranhos...
Certa vez teve de jantar lá mesmo para estudar e ficar indo e voltando para casa era um tempo valioso na hora do estudo. Jantamos, fiquei ouvindo rádio e ficou estudando nosso outro colega (que não vou citar o nome, pelo menos não ainda) também estava ouvindo rádio eu acho. Após voltarmos para o serviço ouvimos aquela reclamação:
- Bah, aquele arroz estava muito soltinho cara, parecia requentado.
Agora eu pergunto, quem em sã conciência não gosta de arroz soltinho, mas prefere aquele unidos venceremos? Tudo bem que cada um gosta do arroz a sua maneira e o assunto poderia ter acabado aí, mas ele continuou, falou algo assim:
- E aquele bife, tava muito bem assado, quando eu faço eu deixo assar de um lado por 10 segundos, viro, mais 10 segundos, e pronto, só pra dar uma cor.
Eu e me colega nos olhamos, olhamos Fábio, nos olhamos novamente, exclamei um "Te larguei magrão", ele também exclamou algo que agora não lembro.
Mas o pior estava por vir, sabe aquelas batatas fritas bem sequinhas e crocantes como as de propaganda? Ele não entendai como alguém podia comer aquilo, pra ele as batatas deviam ser bem molhadas no óleo, quase cruas, molengas, caso estivessem meio secas então devia se dar um banho de catchup nelas. Foi uma descrição horrenda, uma verdadeira ofensa às saborosas batatas de propaganda.
Depois daquilo nunca mais dei atenção quando ele dizia que deviámos ter uma alimentação mais saudável, comer mais salada, vou eu saber se não é aquele verde todo que faz as pessoas começarem a comer tão mal assim.

3 comentários:

Aidos disse...

Eu gosto de arroz unidos venceremos tah
e bife bemmmm mal-passado...pq coisa com gosto de carvão ñ dá...tem que ter o legítimo gosto da carne...e bemm...as batatas são melhores sequinhas como da propaganda mesmo ^^

Fabio disse...

bOM,GOSTO É GOSTO!!
Aqui é o fábio e comer umas batatas fritas de vez em quando e do seu proprio jeito não fazem mal a ninguem!!!

Carol Isabel disse...

só ri
ahsuahushauh