segunda-feira, 28 de junho de 2010

Rain

Havia um garoto na chuva. Ele fitava a tempestade sem mover um músculo sequer.
Apenas a sua silhueta podia ser vista no meio da tempestade.

Raios, trovões, granizo, a nada ele teme. A culpa em seus olhos, iluminados pelo flashes de luz, mostravam uma alma partida, despedaçada.

Ele fala algo, mas o som não chega a lugar algum.
Então começa a correr.

E adentra o vilarejo não muito longe dali.

[continua]




Creative Commons License

Um comentário:

Carol Isabel disse...

só pra constar que lí tudo,
não não tinha nada pra fazer mesmo hehehe

esperando a continuação...

xD